25.7.10

para Vanessa

'A dor de uma separação não justifica um fim.
A vida é maior do que um momento.
É o tempo o segredo, amigo.'

[Gabriel Chalita -carta
ao amigo Pe. Fabio de Melo]



Neste momento ralo, tudo o que eu queria era estancar o teu choro. Te pegar no colo e te colocar pra dormir, porque, às vezes, para nos tornarmos fortes, temos que reconhecer nossas próprias fraquezas. E num embalo mágico te fazer sorrir esparramando flores. Como naquele tempo que desconhecia o complicado. Naquele tempo em que nossos desejos eram miúdos e simplificados e, por isso mesmo, os mais bonitos. Naquele tempo onde nossas alegrias pareciam durar uma vida inteira. E as dores não eram alojadas por muito tempo.
É, hermana, passou-se o tempo dos nossos dezoito anos. Das nossas andanças pelas madrugadas, descalças de emoções sujas e travessas. Das nossas atmosferas lúdicas capazes de esbarrar qualquer tipo de frustação mesquinha.
Hoje, nosso tempo é outro. Tempo de dores mais persistentes e mais doídas. Tempo de medos e feridas abertas e expostas. Tempo sem porta de saídas. E de corredores cada vez mais estreitos. Mas é aí que mora o fio da meada. É aí que vive a motivação. Porque o difícil pode esconder também beleza -pra nós -mulheres de aço. [Aquelas que são só por fora, porque, dentro, somos derretidas mesmo. Choramos com certa facilidade. Perdoamos mais rápido ainda.]
Por isso mesmo que te faço o convite. De sair nos dias com os pincéis que nos cabem. Para pintar o mundo do jeitinho que a gente gosta. Para deixar tudo assim, no tom do anil. E bordar delicadezas no tecido áspero das horas.
E, amanhã, cabe a nós o dom de contornar as agruras da vida. A cultivar a sementinha da boa esperança num vaso que fique sempre à mostra. A morrer de amor quantas vezes quiser, sem se perder por isso. Porque uma coisa eu digo: a gente não morre de amor. A gente vive.


Te quero todainteira.
Te quero mestre na arte da vida.


*

7 comentários:

Grasi disse...

É isso aí...
a gente chora, a gente sofre, a gente desconfia da sorte, a gente quer morrer, mas de amor a gente não morre... por mais que seja sofrido, de amor a gente vive!
Lindo post.
Bjão e um domingo super iluminado.

OutrosEncantos disse...

Vim buscar teu bom dia e te deixar o meu, Serena Menina!
Recado lindo, este aqui!

Tem domingo de Paz!
Beijo.

Me disse...

sempre que venho aqui saio mais leve!!! amo...
bjokas serena!!!

Pérola Anjos disse...

As lembranças bonitas também servem para amenizar algumas dores, porque a essência permanece para sempre, espalhando cores pelos cantos que teimam em ficar cinzas.

Beijo doce!

Maria Fernanda Probst disse...

Um encanto, moça. Palavras tão recheadas de força que me deu vontade de pintar o mundo de anil, de gritar que sou um pouco mais.

Perdi a armadura de aço.

Lindo aqui.
Beijo doce.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Hermana minha fia, já falei até com a Noe!

Estiouuuuuuuuuu
Estiouuuuuuuuuu

Um beijo de sol com chuva

Te espero pro casamento da raposa, vê se não vai se atrasar!

Suzi disse...

.

Menina Cris, não sabia que você escrevia tão lindamente.

Ah, que me deu uma vontade de ter uma amiga assim, que me chamasse para por cores no mundo... e eu já iria correndo. Chega de dias gris.


Cores & Cores ... Desejo!

Te abraço forte.

.
.