5.2.11

cartas

Para Lídia Martins,
hermana de constelação


Hermana, perdoe a minha ausência, é que as coisas aqui andam por demais apavorosas. Gente mesquinha tentando tirar de mim o que tenho de melhor: minha paz interior, minha serenidade, o meu bem-querer. Mas a espada já está em riste e não vou permitir que nunca mais elas me desestabilizem. Ando nos teu quintais durante as madrugadas insones, e sinto também, mesmo do lado de cá, que você anda nada bem, que as dores também são muitas. Faremos um acordo então: Prometeremos, uma a outra, que não desistiremos de nós, que nos cuidaremos, que nos amaremos, só pra poder provar pra toda essa gente que, no final, o bem sempre vence! Te quero todainteira pr'eu poder ficar inteira também! Te penso sempre! E te amo com a mesma força que antes!


Beijos meus



Carta II



Para Lídia Martins,
aquela que ainda sonha




Acho que o Seu Caio F. não tinha razão quando disse que 'as dores são cada vez mais rapidamente superadas'. As dores são cada vez mais profundas e as covardias tantas. Covardia afetiva, hermana, eis a questão. As pessoas acham feio se doar, acham feio qualquer tipo de amor. E preferem o passageiro ao eterno e imutável. Nós, não! Nós ainda insistimos naquele PRA SEMPRE, mesmo sabendo que ele também acaba. Insistimos no que é bonito, mesmo sabendo que ele nos fere os olhos e a alma. Ainda não descobri a receita que nos faça desistir desse sonho, hermana, o de querer mais que um corpo ao nosso lado, o de querer ser tocada na alma, de querer trocar sonetos numa manhã de domingo. Ainda espero, num dia qualquer, ser tocada no ombro e uma voz me dizer: 'Chegou tua vez. Tome ele pela mão. Ele é todo AMOR.' Ai, hermana, como nós merecemos o melhor! E nossa vez também chegará! Oremos, então.




Beijocas diversificadas!


.

2 comentários:

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Hermana,



A tarde caiu como uma adaga abrindo velhas chagas. Vestindo cem tonalidades de cinza, talvez fosse o céu desse dia apenas uma estátua uniformizada que desabou sobre si mesma, e teve sua ferida seca coberta por um lençol de fumaça que cheirava a enxofre e à pólvora queimada.


Hermana - de se estiver me escutando agora, por favor me abraça.


Fazes-me falta.

Keli Wolinger disse...

O pra sempre é eterno para os que acreditam no amor..

Bjos ensolarados