27.8.10

das querências

No peito um ritmo de samba, atabaque, pandeiro. Coração é terra que ninguém vê. Onde o que se planta, nasce. Nasce muita planta bonita. Erva daninha também dá. Mas hoje eu posso escolher o que eu quero pra mim. Quero rosas amarelas, begônias e miosótis - a flor da lembrança. Quero sol, quero mar, quero tudo o que me ponha pra cima e além. Quero festa cercada de gente sorrindo, quero abraço de amigo, colo pra deitar. Quero a proteção de São Jorge. Quero amor limpinho, gavetas arrumadas, sentimentos perfumados. Quero luz, muita luz pra poder sorrir a qualquer hora do dia e não deixar nada atravancar o caminho. Quero ser dona dos meus passos e senhora do meu destino.

.

4 comentários:

OutrosEncantos disse...

Sim, está bem!
Se quer colo eu dou, e abraço também, só uma coisinha, erva daninha no coração não, só flor bonita... e meu beijo também, menina linda!

Julia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julia disse...

Quando li senti clareza...Cheiro de flor, de casa arrumada. Cheiro de verão colorido, de carinho, de amigos ao redor. Gosto de limonada gelada, de bolo de laranja...

Você sempre me inspira com seus textos.

Júh Albuquerque disse...

Eu queria era aprender a escrever assim um dia!
"D